Category: Educação Sexual

75% dos casais usam o WhatsApp para conversar, diz pesquisa

Estamos vivendo o amor nos tempos de WhatsApp. De acordo com um levantamento feito pela empresa de proteção de celular “Pitzi”, o aplicativo já é o principal meio de comunicação para 75% dos casais brasileiros que usam smartphones. Esqueça o chat do Facebook: apenas 9% dos entrevistados o utilizam para se comunicar com o parceiro e só 6% usam o SMS. Na pesquisa, mais da metade das mulheres comprometidas perdem as contas de quantas vezes falam com seus companheiros por WhatsApp. Já entre os homens, esse número é de 32%. A pesquisa consultou mais de mil pessoas de treze Estados brasileiros.

Já que muitos casais brasileiros utilizam esse aplicativo para se comunicar por várias razões, por que não utilizar essa rede social para estimular ainda mais a paixão dos pombinhos ou apimentar o desejo, mesmo à distância? Você pode gravar, por exemplo, mensagens de áudio com uma voz bem provocante para seu parceiro, escrever coisas provocantes ou ainda enviar fotos suas escolhendo um presentinho numa sex shop. Ideias não faltam para apimentar a relação usando o WhatsApp.

Confira mais sobre o assunto, clicando aqui.

Sexóloga fala sobre a diferença entre admiração, respeito e submissão

Convidamos a sexóloga Karina Brum para conversar com a gente sobre essa confusão que muitas de nós fazemos entre admiração, respeito e submissão. E sobre como impor limites na relação evitando e prevenindo um relacionamento abusivo. Além de orientações de como lidar com a baixa auto-estima derivada de agressões físicas e emocionais, por meio de dicas práticas que ensinem às mulheres como dizer o que sentem.

Confira tudo, clicando aqui.

Fonte: Diário Digital.

Quem ama conversa

Já diria o dicionário, que a palavra diálogo pode ser definida como conversa entre uma ou mais pessoas e/ou discussão ou negociação entre duas ou mais partes, geralmente com vista a um acordo. Pois bem, a minha única dúvida é o porquê as pessoas evitam conversar, negociar, discutir sobre suas vidas sexuais! Quando pretendemos manter ou estabelecer um relacionamento duradouro, real, gostoso e quente precisamos conversar. E o diálogo é algo que acontece entre duas pessoas. Se uma só falar, vira um monólogo – logo não há relacionamento.

Minha função enquanto sexóloga é a de esclarecer sobre os benefícios de uma conversa boa, limpa e bem humorada (não confunda bom humor com riso frouxo). Há alguns dias eu ouvi que “ninguém gosta de falar a verdade por que as pessoas se magoam escutando”. Então, eu pré-suponho que você casa iludida com a imagem que foi vendida – e que na verdade não lhe será entregue. E então, o inevitável acontece: brigas, lamentações, frustrações, separações. Não deu no mesmo? Você não ficou magoado e decepcionado com a situação que foi colocada? Não é melhor conversar e ser franco (a) ao invés de iludir a outra parte? Ninguém muda da “noite para o dia”. E em alguns casos, “pau que nasce torto nunca se endireita”. Por mais que eu saiba que devamos acreditar nas mudanças das pessoas é certo que o fator cultura e credos familiares são muito fortes.

Eu gostaria de entender o porquê de não conversarem sobre o problema? Por que não discutem o tema? Será que hoje em dia as pessoas não sabem conversar sem deixar virar disputa? De que no campo amoroso não há ninguém melhor do que o outro?
Aprenda a conversar, a expor suas dúvidas e medos. Seja humano. Peça reciprocidade nos atos e sentimentos. Entenda que as pessoas têm limitações, e às vezes elas deixam de fazer algo, simplesmente por não sabem por onde começar. O pior é que às vezes deixamos de fazer ou falar algo pela tão conhecida “zona de conforto”. Ninguém está exigindo perfeição. O que se pede é um pouco de amor e se vier respeito junto, ficará incrível! A cumplicidade e a harmonia nascem da convivência e da observação mutua dentro do casamento (seja ele no papel ou pela escolha). Você tem a oportunidade de ser livre dentro de um relacionamento. Basta escolher a pessoa certa. E esta escolha deve ser feita antes de firmar compromisso e não depois. E ser livre não tem conotação pejorativa ou libertina. Mantenha seus amigos e familiares queridos por perto – saia com eles para algum programa legal sem a obrigatoriedade de levar o marido (ou esposa) junto. Isso é viver e ter a certeza de que intimidade é algo fixo e conquistado dentro do relacionamento.

 

7 dicas sexuais inspiradas em “50 tons de cinza” by Karina Brum

O filme “50 Tons de Cinza” terá sua estreia mundial no 65º Festival de Berlim, em 11 de fevereiro de 2015. A narrativa é toda inspirada no best-seller homônimo escrito por E.L. James e a história adapta o volume inicial da trilogia conhecida como “pornô para mamães”. O filme, que no Brasil entra em cartaz no dia 12 de fevereiro, é baseado no primeiro volume da trilogia. A história retrata o início do relacionamento entre uma “ingênua” estudante de literatura, Anastasia Steele (Dakota Johnson), e um rico, misterioso e dominador empresário, Christian Grey (Jamie Dornan).

A trilogia erótica ficou famosa por abordar temas sexuais pouco conhecidos. O ambiente sexualmente quente entre Anastasia e Grey aguçou a curiosidade de mulheres e homens sobre o universo BDSM (sigla para Bondage, dominação, sadismo e masoquismo), o que fez com essas práticas sexuais, entendidas como estranhas, ganhassem mais visibilidade e aceitação na sociedade. Na avaliação da palestrante e especialista em criatividade sensual, Andreia Berté, a trilogia desafiou as mulheres a repensarem sua vida sexual e a se desafiarem a explorar novos horizontes trocando o “não” ou “sim” absolutos por um sugestivo “talvez”.

“Antes de serem convidadas a entrar no Quarto Vermelho de Christian Grey e de se surpreenderem com a forma como a narrativa as excitou, palavras como sadomasoquismo ou BDSM faziam parte dos “nãos” e agora certamente já estão no mínimo no campo do “talvez”, do “quem sabe um dia”. O chamado “pornô para mamães” instigou as fantasias e reconectou muitas mulheres com sua sexualidade frequentemente abandonada em prol da dedicação com a casa, marido, filhos e vida profissional. A consequência foi um aquecimento ainda maior no mercado erótico, com vendas não somente de algemas, chibatas, máscaras e lingeries mais ousadas, mas de tudo o que possa trazer a sensação de novidade e aventura, bem como para revigorar a intimidade, o prazer e o desejo do casal”, explica Andreia.

O problema do livro, opina a personal sexy do Labareda Boutique, Karina Brum, é que Grey apresenta para Anastasia este universo erótico de uma forma direta e fria, sendo que o recomendado é ir devagar. “O personagem Christian Grey é um dominador em todos os campos que tenta de forma mais “direta e fria” apresentar seu universo sexual a uma mulher que ainda não conhece os prazeres eróticos da vida. Só que a personagem Anastasia, nem tão fictícia assim, é uma pessoa romântica, inocente e totalmente virgem que procura um relacionamento. Os acessórios são mostrados a ela de forma direta. E o que sempre dizemos para ambos os sexos é realmente ser objetivo quando o assunto for sexo com acessórios, mas o indicado neste caso é ir devagar”, pontua Karina.

Confira mais sobre o assunto, clicando aqui.

Filmes Pornôs: 7 coisas que você não deve imitar com o parceiro

Apesar de alguns casais não serem favoráveis a assistirem filmes eróticos, você já parou para pensar que esse tipo de conteúdo pode ser ótimo para apimentar a relação? Mas existe uma grande diferença entre assistir para incrementar a vida sexual, e levar algumas ideias dos filmes para a cama. Isso porque das práticas e os conceitos dos filmes pornográficos têm um roteiro eroticamente fraco. O que isso quer dizer? Pouco diálogo, nada de preliminares, sexo oral apenas nos homens e quase nada nelas, além de penetração sem carícias e sexo anal sempre.

Com isso, achar que a penetração começa num “estalar de dedos”, que palavrões em excesso são excitantes e que se pode pular a parte das carícias são algumas das ilusões que esses filmes acabam criando em quem assiste e deseja se inspirar. E, acima de tudo, podemos considerar essas atitudes como “erros fatais” que podem comprometer o prazer sexual do casal. Pois acaba-se deixando de lado, por exemplo, algumas particularidades responsáveis pela excitação feminina, como as carícias.

Para Karina Brum, sexóloga e personal sexy do Labareda Boutique, sexo não é apenas penetração. Preliminares importam, sobretudo, para a mulher. “O corpo feminino precisa ser preparado para qualquer tipo de penetração. Não existe mágica! A excitação vem do estimulo tátil, olfativo e auditivo. O corpo masculino reage de forma diferente: é visual e se excita muito mais com estímulos manuais”, explica Karina.

Outro conceito errôneo aprendido pelos homens em filmes eróticos e que deve ser evitado é achar que apenas eles têm direito ao orgasmo. Ou seja, o parceiro chega “no ponto alto do prazer” sem se preocupar com a parceira. “Ainda atendo casais que estão juntos há anos e somente o homem chega ao orgasmo. E a mulher acha isso supernatural! Às vezes, é bem bacana brincar e deixar o cara dar o “start” [início] do jogo sexual, mas sempre é demais. É importante ter reciprocidade no orgasmo. Faz bem para as saúdes mental e afetiva do casal”, afirma a personal sexy.

Confira mais sobre o assunto, clicando aqui.

Ejaculação Precoce

A ejaculação precoce ocorre quando o homem atinge o orgasmo de forma incontrolada, antes de desejá-lo e de que sua companheira chegue ao clímax. Às vezes isto ocorre inclusive antes da penetração, ocasionando um encontro sexual insatisfatório. Por volta de 76% dos homens sofreram alguma vez deste problema, já que a ejaculação precoce é a disfunção sexual mais comum.

A comunicação e a confiança com sua parceira e em si mesmo são aspectos fundamentais para controlar a ejaculação precoce. Na maioria dos casos, o problema reside na mente do homem, que se sente inseguro e desconfia de si mesmo porque acha que não ‘durará’ o suficiente para satisfazer sua parceira.

No entanto, acreditem: a penetração não é a única forma de conseguir que uma mulher sinta prazer e alcance o clímax. Quando acontecer com você, continue estimulando-a até que ela atinja o orgasmo, há muitas formas de excitar uma mulher sem penetrá-la. Por isso manter as mãos hidratadas e unhas cortadas é tão importante.

O relaxamento é imprescindível para ter encontros sexuais prazerosos e aprender a controlar a ejaculação precoce.

O importante é pratique os exercícios em um ambiente tranquilo, se você se sentir estressado ou com pressa, deixe-os para mais tarde. Um exercício de relaxamento muito eficiente é o de controlar a respiração. Para isso, coloque uma mão no ventre e outra no estômago, inspire de maneira a notá-la apenas na mão que tem no ventre. Quando estiver cheio, continue inspirando até notá-la na outra mão, então feche um pouco os lábios e expulse o ar pouco a pouco e de forma controlada. Você deve realizar esta técnica antes da cada exercício.

Orientações Importantes para combater a Ejaculação Precoce.

Exercício 1: controlar a masturbação
Um dos exercícios mais eficazes para controlar a ejaculação precoce é aprender a identificar as sensações prévias ao orgasmo, e isto consegue-se por meio do controle da masturbação. Para isso, comece a masturbar-se como de costume, mas tente concentrar-se nas sensações que isto provoca em você e não tanto na ideia de controlar a ejaculação. Quando notar a necessidade de ejacular, pare e, com os dedos polegar e indicador, aperte firmemente a zona que está logo abaixo da glande até que a sensação diminua, então continue com a masturbação.
Você deve repetir este exercício durante três ou quatro vezes, na quarta ou quinta sensação de ejacular não interrompa a excitação. Tente praticar esta técnica pelo menos uma vez ao dia, até você controlar completamente esta sensação e poder colocar em prática com sua parceira. Assim, durante a penetração, se você notar a necessidade de ejacular, detenha-se alguns segundos até que diminua e retome o coito.

Exercício 2: técnica de Kegel
Sem dúvida, os exercícios de Kegel são perfeitos para aprender a controlar a ejaculação precoce, já que consistem em exercitar os músculos PC (pubococcígeos ou pélvicos) para dominar o reflexo ejaculatório. A primeira coisa que você deve fazer é identificá-los. Para isso, sente-se no vaso sanitário e pare a urina, preste atenção no músculo que o provoca, já que só os PC podem fazê-lo. Repita-o até encontrá-los.
Uma vez localizados, esse mesmo exercício serve para exercitá-los. O que você deve fazer é deter o fluxo de urina várias vezes e expulsar só uma pequena quantidade quando relaxar. Uma vez que você tiver isto controlado, pode passar a realizar os exercícios contraindo os músculos PC. Para isso, aperte durante alguns segundos e relaxe-os. É recomendável começar com 30 repetições até você controlar completamente a técnica, depois você pode baixar para 20, e realizá-lo entre cinco e seis vezes ao dia para maior eficácia.

Exercício 3: pressão no períneo
O períneo, também conhecido como a zona anti-ejaculatória, encontra-se entre os testículos e o ânus. Exercer pressão forte nele permitirá deter a necessidade de ejacular sem diminuir a ereção. Assim, você pode começar praticando este exercício durante a masturbação, quando tiver a sensação de ejacular, em vez de apertar a glande, pressione o períneo. Quando o tiver realizado várias vezes e controlar a técnica, você poderá começar a praticar com sua parceira, nos encontros sexuais de vocês. A pressão deve ser forte, se for massageado se obterá o efeito contrário já que aqui se encontra, também, o ponto G masculino.

Exercício 4: masturbação antes da penetração
Este exercício implica a participação de sua parceira e pode ser muito eficaz e ao mesmo tempo prazeroso. Uma forma de controlar a ejaculação precoce é chegando ao orgasmo durante os preliminares; lembre-se de que o importante é concentrar-se nas sensações e desfrutar. Uma vez que tenham atingido o clímax, vocês deverão voltar a estimular o pênis para conseguir uma segunda ereção e completar o encontro sexual com a penetração. Ao ter ejaculado uma vez, a segunda ocorrerá de maneira retardada e, se você tiver praticado os exercícios anteriores, será bem mais fácil controlá-la.
O ideal é criar um programa de exercícios diário no qual os intercale. A constância é essencial para conseguir os resultados esperados, de modo que faça-o durante cinco dias e descanse dois, depois volte a começar. É importante levar igualmente a sério tanto os exercícios quanto os dias de descanso, para que seu pênis possa recuperar-se completamente. Além dos exercícios físicos de respiração, existem posturas sexuais que favorecem o atraso da ejaculação e lhe permitem controlá-la melhor.
Se depois de realizar os exercícios não diminuir a ejaculação precoce, não hesite em procurar um profissional com sua parceira para que ele lhe indique qual o melhor procedimento a seguir. Ter uma vida sexual saudável é importante e eleva a qualidade do relacionamento.


Enjoy!

Elas pensam mais em sexo, revelam pesquisas

ELAS PENSAM MAIS EM SEXO, REVELAM PESQUISAS!

Pesquisas realizadas em vários países confirmam: “as mulheres têm pensado e falado cada vez mais sobre sexo”. O que mostra que esse assunto já não é mais um tabu, pelo contrário, elas estão compartilhando opiniões sobre o tema também com seus parceiros. Com isso, a ida ao sex shop, por exemplo, deixou de ser pecaminosa para ser uma visita agradável e divertida e que vai trazer novas experiências à rotina sexual. Aliás, elas compram muitos mais produtos eróticos e assistem, sim, a filmes com conteúdos eróticos. Tudo sem pudor! O direito ao prazer ninguém mais tira delas e pesquisas revelam bem o cenário.Mulheres já são maioria entre os assinantes de canal pornô!

Segundo uma pesquisa do canal Playboy TV, marca que controla seis canais de conteúdo erótico, as mulheres representam mais da metade dos assinantes dos canais da programadora. Divulgado em novembro de 2014, o levantamento mostra que elas representam 54% dos 450 mil assinantes. Em 2010, esse número era de 49%. Para 78% das 1.660 pessoas entrevistadas, a ideia de consumir conteúdo erótico é “colocar bastante pimenta na relação sexual”, além daqueles que desejam aprender com os profissionais da tela (68%).

Masturbação
Apesar do assunto ainda ser tabu para muitas mulheres, a masturbação, de acordo com uma pesquisa realizada com pessoas do sexo feminino, acima de 18 anos, e que utilizam iPhone no Brasil mostrou que 70% das brasileiras se masturbam. Além disso, 81% delas conseguem atingir o orgasmo se tocando. A pesquisa, respondida por aplicativo em celular em julho de 2014, foi feita pela Hibou, uma empresa especializada em pesquisa e monitoramento de consumo.

Com a revolução feminina, opina a psicóloga e especialista em sexualidade Juliana Bonetti, elas inserem na sociedade uma nova identidade que ainda está em transformação. “As mulheres, por causa de fatores sociais e culturais, têm mais dificuldades em expressarem-se sexualmente. Mas, na medida em que leem e vivenciam por meio da literatura ou filmes o lado erótico e pornográfico, vão, pouco a pouco, se permitindo vivenciar as próprias fantasias”, afirma.

A psicóloga e terapeuta sexual Paula de Montille Napolitano recorda ainda a repressão sexual contra as mulheres para explicar como algumas ainda tratam o conteúdo erótico como tabu. “O direito ao prazer sexual foi socialmente conquistado pelas mulheres há pouco tempo. Antigamente este desejo não era permitido nem mesmo em pensamentos. O importante é não deixar com que esses tabus impeçam a mulher de aproveitar esses recursos para aumentar o prazer”, avalia.

Pornografia pode trazer vantagens para a vida a dois
“Dependendo do casal, a pornografia pode trazer benefícios. Mas, claro, quando os dois gostam e aprovam. Esse tipo de conteúdo pode ser incrementado junto às preliminares, por exemplo, trazendo à tona também a comunicação de outras fantasias sexuais”, reforça a psicóloga Juliana Bonetti.A sexóloga Karina Brum conta que o próprio mercado de filmes eróticos tem feito filmes com roteiros mais trabalhados, realistas e naturais, diferentes das cenas cruas de sexo explícito dos filmes tradicionais.

“Mulheres não gostam do pornô tradicional. Por isso, algumas empresas de conteúdos pornográficos têm diretoras no lugar de diretores, hoje. Sem contar que os roteiros têm mais enredo do que só as cenas cruas de sexo explícito. A visão de uma mulher, enquanto diretora da cena, torna tudo mais excitante e divertido. Toda mulher gosta e precisa sentir-se desejada, mas este desejo não deve ser mecânico, como nas cenas dos filmes tradicionais. E o mais impressionante é que esta geração feminina procura se motivar e se autoconhecer, cada vez mais, por meio dos filmes”, afirma Karina. Quer ler mais sobre essas pesquisas?

Fonte: Tempo de mulher.

8 dicas para se dar bem no sexo casual

Pesquisas mostram que sexo sem compromisso melhora autoestima de homens e mulheres. Confira as dicas!

Especialmente aqui no Brasil, o sexo casual ainda é encarado como tabu. Há quem prefira esta modalidade de relacionamento porque não há obrigatoriedade de laços emocionais. Mas há também quem ache que o sexo sem compromisso apenas reforça a sensação de vazio no dia seguinte. O que pesquisas recentes afirmam, no entanto, é que a prática do sexo casual tem sido uma opção cada vez mais aceita por homens e mulheres.

Segundo pesquisa realizada pelo site C-date em outubro de 2014, especializado em relações casuais, esse tipo de envolvimento aumenta a autoestima para 49,61% dos homens e mulheres brasileiros cadastrados no site. Na pesquisa, 22,98% delas disseram que uma das vantagens do sexo casual é não criar laços emocionais após o encontro. E 25,98% dos homens concordaram com a resposta. Outra pesquisa, publicada em 2014 na revista Social Psychology and Personality Scienceem e realizada por pesquisadores da Universidade de Nova York e Cornell, feita com 530 estudantes da instituição, nos Estados Unidos, chegou a esta mesma conclusão.

Segundo os resultados, a prática tem um ótimo impacto na saúde mental dos envolvidos, mas, claro, quando a pessoa procura este tipo de relação apenas por prazer ou diversão. Já quem procura sexo casual por razões como vingança ou para querer agradar alguém, os efeitos são ruins, podendo ocasionar baixa autoestima. Mas, afinal, por que o preconceito com esta prática?”O preconceito acompanha qualquer situação em que há transgressão do que é tradição.

O sexo casual é um comportamento transgressor, uma vez que coloca mulher e homem como autores de seus desejos sexuais e das vontades de seus corpos. Quebra a obrigatoriedade de sexo e amor estarem acompanhados”, observa Juliana Bonetti, psicóloga especializada em sexualidade.Portanto, para evitar sofrimentos e estar preparado para desfrutar dos prazeres do sexo casual, é importante analisar bem se vale a pena, explica a colunista de Amor e Sexo do Tempo de Mulher, Regina Racco. O sexo casual, opina Karina Brum, personal sexy e autora do livro “Liberdade para Amar – Um mergulho no universo erótico”, só fará mal se os envolvidos não tiverem maturidade emocional ou esperarem “retorno afetivo” no primeiro encontro.

“No geral, o básico é procurar ter e dar prazer de forma segura e protegida, desencanar da obrigatoriedade de um relacionamento. As mulheres pecam exatamente neste momento, quase sempre. Então, a dica é deixar rolar”, afirma Karina. Quer mais dicas para se dar bem neste tipo de relação?

 

Fonte: Tempo de Mulher.

Sobrevivência Afetiva

SOBREVIVÊNCIA

Havia um tempo em que a mulher se valorizava mais, se amava mais e se importava menos com a massacrante competitividade sexual juvenil dos últimos tempos. Competir com um corpo vazio é simplesmente atestar imbecilidade.

Mulheres: libertem-se das amarras impostas por uma educação limitada! Valorizem seu potencial sem deixar a doçura. Não sucumbam aos cafajestes de plantão. E sim, eles serão os melhores de cama, os mais galanteadores e os de maior sex appeal – afinal, eles passam a vida fazendo isso e mais nada! É bem justo serem os melhores do mercado.

E deixo claro que infelizmente há uma geração de seres humanos do gênero masculino (que não devem ser chamados de Homem – seria uma ofensa para a raça) que se tornaram uns boçais, um verdadeiro saco de medos, incertezas e inseguranças capaz de não saber o significado do sentimento chamado: respeito. Sim, por que no geral, quem respeita nutre afeto, carinho e até mesmo amor pelo outro. E quem ama cuida, zela e protege. Como eu dizia estes projetos não devem ser chamados de Homens, por que o gênero pede uma gama de predicados que não estão inseridos no pacote. É claro, que isso também se aplica a algumas mulheres, mas neste momento a reflexão é outra.

Não é pedir muito para você, que pretende construir e solidificar um relacionamento saudável neste século das “trocas fáceis” para que faça uma boa de uma triagem intelectual e sentimental. Analise, faça um test-drive, use antes de você se tornar literalmente a carne frágil do amanhã. E isso não é ser fria ou calculista, muito menos feminista, isso é saber usar uma ferramenta para sobrevivência nos tempos atuais: o cérebro. É ser realista.

Falo isso por constatar que existem pessoas más. Pessoas que não sabem aonde querem estar daqui á 10 anos e muito menos como querem chegar. No geral, planejamos o universo financeiro, profissional. E pelo que vejo, o afetivo é deixado de lado, por que viver uma “roleta russa” é muito mais empolgante! Grande besteira!

A dica é a seguinte: redobre o cuidado na hora de pensar em se envolver. Seja mais observadora e sofra menos de “paixonite”. Estar sozinha não significa viver de solidão. E você não está velha demais se já passou dos 30 e ainda não casou!

Como é que você quer que alguém a ame se você mesma não se ama? Não é para ser uma fortaleza impenetrável, mas é para ser mais blindada a gente ruim. É tão frustrante ver pessoas ficando doentes por que investiram todo o sentimento numa pessoa vazia. Sexo por sexo, façam a sós! Existem vibradores excelentes! E as mãos também fazem milagres. Existem pesquisas que comprovam que a masturbação é um “remédio” sensacional para a prevenção de ansiedade, depressão e DSTs. Não fui eu que inventei isso e nem levanto a bandeira de “vivam com acessórios por que eles são fieis e confiáveis” – mas defendo a tese de que o autoconhecimento e a valorização do corpo são fundamentais para sua sobrevivência neste mundo atual.

É importante dizer que relacionamentos saudáveis são aqueles que trazem dias alegres, momentos inesquecíveis, sensação de liberdade mesmo acordando todos os dias ao lado da mesma pessoal. A pessoa certa faz você se sentir completa e pronta para enfrentar tudo. Você aprende a fazer pequenas concessões sem se sentir desvalorizada. É obvio que até nesse tipo de relacionamento você terá momentos de irritação, e amém por isso, por que atestamos que o ser humano é passível de erros e é H-U-M-A-N-O.

Não fique com alguém que não te faça transbordar! Não se deixe iludir com promessas vazias de dias melhores. Não se permita ser infeliz.

Invista em você. Tenha amigos. Estude. Cante. Dance. Ame e faça amor. Faça sexo de qualidade e com toda a intensidade que for permitida. O importante e não confundir sexualidade com libertinagem. Dialogue franca e educadamente. Ria. Chore. Mas tenha expressão.

Ame-se muito. Ame-se sempre. Seja gentil consigo mesma. E aprenda de uma vez por todas que ninguém vai lhe fazer feliz a não ser VOCÊ MESMA.

Seduza com o olhar. Ser bom de cama não significa ter pegada e sim fazer diferente!

O Dialogo sexual começa com o olhar.

O contato visual nas preliminares é excitante. Dar e receber prazer é uma arte que precisa ser aperfeiçoada. Falar sobre o que gosta, ter disposição e bom humor para experimentar novidades são alguns dos princípios básicos para ter um relacionamento sexual/erótico inesquecível.

1. Não se concentre apenas na vagina ou no pênis. Seja macro!

Quem merece nota dez na cama dedica atenção suficiente às carícias em todas as regiões do corpo, e não apenas na estimulação do pênis ou da vagina. Afinal, não é somente nos órgãos sexuais que se encontram as zonas erógenas. Pergunte ao par em que lugar o toque lhe é mais ou menos excitante. Explore lugares diferentes, como couro cabeludo, orelhas, áreas entre os dedos, curvas do bumbum, vão entre os dedos, entre outros. Se for o caso, utilize óleos ou lubrificantes térmicos com um sabor suave.

2. Seja firme e terno

Variar na intensidade dos toques possibilita um leque maior de opções de estímulos corporais, proporcionando mais excitação e muito mais intimidade ao casal. Investir em carinhos com palavras doces e toques suaves, desperta o lado afetivo, enquanto investir em uma pegada mais intensa faz com que a relação seja vulcânica.

No geral, as mulheres costumam gostar de toques mais ousados, mas a sensibilidade de falar baixinho no ouvido pode deixá-la com muito mais tesão. E os homens, mesmo aqueles que parecem durões, também vão adorar essa alternância. O sexo oral, por exemplo, pode ser realizado tanto de forma mais calma, quanto mais voraz. Reforço: todos nós somos seres orais.

3. Demonstre o que sente e fale do que gosta!

As pessoas “inesquecíveis na cama” sabem que para tirar o maior proveito possível do sexo é necessário falar claramente o que deseja. Chamamos isso de “potencial erótico”. Elas não têm vergonha de pedir determinadas carícias ou propor posições diferentes na cama, muito menos tem vergonha de perguntar às preferências do par. A teoria valida para qualquer casal atemporal é a de tentar mapear o corpo do parceiro (a) para satisfazer-se e proporcionar excitação que transborde as expectativas esperadas. A comunicação é a forma mais assertiva de conseguir com que o seu parceiro corresponda positivamente. Acredito que ser ‘bom de cama’ não é uma característica individual, mas uma qualidade da dupla. É na interação que sabemos dar e receber prazer. Do contrário estarão fazendo sexo sozinhos, mesmo estando acompanhados.

4. Olhe nos olhos

O contato visual é sempre muito excitante nas preliminares (em especial, durante o sexo oral) e, principalmente, durante a penetração. É pelo olhar que se estabelecem a cumplicidade, a conexão e o jogo de sedução entre um casal. É no olhar que você encontra respostas rápidas aos investimentos eróticos. Não tem como “esconder” nada se você olhar dentro dos olhos. É como se você conseguisse enxergar a alma.

5. Beije na boca

Algumas pessoas acreditam que o beijo é o gesto mais íntimo do que a penetração – A boca é uma zona erógena muito sensível, cujas sensações ficam ainda mais intensas conforme a excitação vai aumentando. Com o beijo você consegue sentir se aquela pessoa é receptiva, carinhosa, intensa e verdadeira. Costumo dizer que algumas pessoas começam a fazer sexo através do beijo. Ir para a cama será consequência inevitável.

E a mesma coisa serve para aqueles que não se entregam no momento do primeiro contato intimo (o beijo) – isso pode boicotar toda uma vida feliz!

Portanto, vamos zelar por nossa “porta de entrada” num relacionamento. Afinal, para ser “bom de cama”, literalmente o ato se inicia pela boca.

6. Criatividade!

Muita gente tem um “roteiro” pré-estabelecido do que é fazer amor. Com direito a uma sequência de tipos de preliminares, hora de tirar a roupa, qual posição fazer, depois para qual posição trocar. O primordial é a criatividade e companheiro! Seja participativo, comunicativo e busque inovar. Não necessariamente para agradar alguém e sim para se agradar. O inusitado, o inédito, aquilo que faz você sair da linha, pode tornar algo simples em extraordinário.

7. Invista em brinquedinhos – mas sempre com sabedoria!

Homens e mulheres precisam ter curiosidade, vontade e, sobretudo, encarar o sexo como uma experiência lúdica. Usar brinquedos eróticos, por exemplo, servem para complementar algo que já é sensacional. Existem cosméticos funcionais que tornam o momento intimo muito mais intenso. Os famosos vibradores ou acessórios do prazer devem ser analisados da seguinte forma:
• Modelo: tem pessoas que gostam de penetração intensa e/ou dupla – outras preferem estimulo na região do clitóris. Para penetração prefira algo com uma circunferência maior e vibrações oscilantes. Já para a região clitoriana, os brinquedos com ponta chanfrada são mais indicados. A intensidade da vibração varia de acordo a sensibilidade da (ou do) cliente.
• Tamanhos e formatos: tudo que lembrar um pênis pode ser mais prazeroso e intenso, porém nem todos os homens estão preparados psicologicamente para isso. Neste caso, uma “sondagem” é fundamental para a sobrevivência do relacionamento. E se você for “inexperiente” na área de acessórios eróticos, tente ir primeiramente numa boa loja e procure orientação de uma sexóloga para não errar no investimento – você deve começar com algo funcional e de tamanho favorável a sua região intima. Veja se o brinquedo em questão é de fácil manuseio e se não é escorregadio. Tudo que você não quer é perder o controle num momento em que o orgasmo ameaça ser o mais explosivo da sua semana!

8. Desenvolva os sentidos.

Saber ler as situações sexuais que se apresentam pode ser uma boa forma de intensificar o prazer, variando de acordo com as oportunidades possíveis. Os dois não se vêem há tempos e estão morrendo de saudade? Nada melhor do que um sexo mais selvagem e rápido. Tem tempo de sobra para namorar? Longa vida às preliminares. Ou está em um cenário totalmente diferente do habitual, como um motel temático, uma suíte de um hotel de luxo ou casa nova? Hora de transar em todo e qualquer canto!

9. Não tenha nojinhos nem frescurites!

Muitos casais se afastam, pois não se permitem curtir totalmente o corpo um do outro. Sabemos que ainda hoje, infelizmente, existem muitos tabus e preconceitos, mas é importante tentar libertar-se e curtir cada pedacinho do par. Beije tudo, aperte, lamba, morda, chupe! Dê tapinhas etc. Não há nada mais desagradável no sexo do que ter nojo ou frescura de alguma coisa. Lembre-se que a situação é de prazer, de entrega. Aprenda a perguntar sobre as preferências sexuais antes de ir pra cama. Por isso é preciso ser sincero e acima de tudo: bom de papo. Aprenda a respeitar limites e dedique-se na busca do prazer mutuo.

10. Rir das gafes é o melhor remédio

Lição importante: não levar tudo a sério evita desgastes energéticos e constrangimentos desnecessários. Se por acaso caiu da cama, o pênis não encaixou onde devia, ouviu um barulho estranho na penetração, não importa: seja bem-humorado. O prazer está ligado ao bom humor.